“Você me condenou, garoto…”